Com a expansão das exportações de minérios do Brasil para outros países em 1940, o setor desde então viu grande oportunidade de permitir o transporte a longas distâncias, uma viabilidade econômica e maior competitividade com outros países fortes no segmento.

Primeiro Parágrafo

Devido às questões políticas, financeiras nacionais e internacionais, o setor de mineração sofreu com uma séria crise em 2008, dívidas do setor privado para o setor público ocasionaram diversos problemas de crescimento, o PIB neste ano representou apenas 1,1% considerado relativamente baixo ao ser comparado com outros setores nacionais.

Com a demanda de importações de ferro para a China o minério brasileiro conseguiu aumentar sua produção no ano de 2009, as vendas externas somaram cerca de US$ 13 bilhões para o setor de mineração, somente a partir de 2010 o segmento se mostrou mais forte e competitivo, o minério de ferro foi responsável por 82% das exportações e representou um percentual de 16% do total mundial em produção.

Em 2011 o setor de mineração no Brasil gerou um considerável aumento de empregos diretos e indiretos, este número alcançou a marca de 175 mil contratações para o setor segundo o Instituto Brasileiro de Mineração, já em 2012, com a crise mundial, a exportação de minérios sofreu uma queda de 24% nas vendas chegando a mais de US$6 bilhões de dólares em perdas.

Crescimento Lento da Mineração no Brasil 

Com as exportações em minérios para os Estados Unidos, China, Japão, Alemanha, Argentina e Coreia do Sul, o Brasil mostrou-se ativamente participativo e competitivo perante os seus concorrentes de produtos minerais, em 2013 o PIB chegou à marca de 5% do percentual nacional.

A meta de 2014 a 2018 é aumentar as exportações significativamente e investir em torno de US$ 75 bilhões de dólares no setor, incluindo ampliação de obras, projetos eficientes em logística e aumento de extrações nas minas ativas. Considerado o grande exportador de Nióbio, com 98% das reservas mundiais, 29 bilhões de toneladas de ferro e obtendo a segunda posição de exportações em Estanho, com 12,3% das reservas mundiais, o Brasil tem grande destaque no segmento e tende a crescer no ranking de exportações de minério.

Muitos apontam um crescimento lento no setor de Mineração, mas os especialistas sentem-se confiantes no mercado em ascensão, dos mais de 5 mil municípios brasileiros, cerca de 2 mil tem a economia local relacionada com a mineração, como a cidade de Itabira em Minas Gerais, considerada a “cidade do ferro”, onde se emprega mais de 15 mil trabalhadores no segmento.

Mineração no Brasil Impacto Global da Mineração no Brasil

Estados onde estão localizadas as principais minas do Brasil como a Serra do Oriximiná no Pará, segunda produtora mundial de Bauxita (alumínio), com 3,6 bilhões de toneladas do minério, utilizado principalmente para a produção de eletrodomésticos, materiais elétricos e também na construção civil.

Minas Gerais e Goiás lideram a extração de Nióbio, são mais de 842,46 milhões de toneladas, o Brasil pode liderar esta posição por mais de 200 anos, o nióbio é utilizado na fabricação de turbinas de aviões, aparelhos para diagnóstico médico e também por siderúrgicas na produção de ligas mais leves de aço.

Na região da Serra dos Carajás no Pará se pode extrair o manganês utilizado na fabricação do aço e produtos químicos, a reserva nacional é de 1,1%, já nas regiões do Maciço do Urucum no Mato Grosso do Sul pode-se encontrar o ferro, o país é o segundo no ranking mundial com 29 bilhões de toneladas do minério em solo brasileiro.

Outras reservas como de estanho utilizado pela siderurgia e indústria de embalagens, cerca de 12,3% estão localizadas no Brasil, 5% das reservas de ouro, 276 mil toneladas de urânio, 0,8% de zinco, 2,0% da reserva mundial de cobre e muitos outros, todos considerados percentuais altos e significativos perante o levantamento geofísico do Serviço Geológico do Brasil.

Principais Mineradoras do Brasil 

Considerada como uma das principais mineradoras do Brasil, a Vale produz mais de 315 milhões de toneladas de ferro e 43,8 milhões de toneladas de pelotas, exporta para os países como Japão, Estados Unidos e China e detém 47% das exportações nestas regiões. Possui mais de 120 mil funcionários e tem um faturamento anual de 104 bilhões de reais.

Seguindo exportações importantes para o setor de mineração, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), exporta cerca de 37 milhões de toneladas de ferro para a Ásia e Europa, possui cerca de 19 mil funcionários e tem um faturamento estimado em 18 bilhões de reais anuais, produz principalmente ferro, aço e cimento.

Com 20% de participação no mercado de minério de ferro a mineradora Samarco exporta para Europa, Ásia, África, Oriente Médio e China, tem capacidade atual de 30,5 milhões de toneladas de pelotas de ferro, fatura 6 bilhões anuais e expande suas exportação ano após ano.

Com sede em Araxá Minas Gerais a mineradora Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), tem como exploração o nióbio, com um faturamento anual de 4 bilhões de reais e exportação para países como Rússia, Inglaterra, China e Japão, é líder no mercado de nióbio.

Grande produtora de aço pelo Vale do Aço em Minas Gerais a Usiminas possui mais de 51 mil funcionários e tem um faturamento de 12 bilhões por ano, exporta principalmente para  a Argentina, México e Japão, destaca-se como o maior complexo siderúrgico de aços planos na América Latina.

Mineradora inglesa Anglo American destaca-se no mercado mundial e tem extrações de ferro em Goiás e Minas Gerais, seu faturamento anual é de 13 bilhões de reais, instalou-se no Brasil em 1973 e expande seus negócios em mineração por todo o continente europeu.

Certamente, o setor de mineração brasileiro possui enorme contribuição para o PIB (Produto Interno Bruto) nacional, após crises e tempos de recessão as mineradoras veem um crescimento constante e forte perante os concorrentes mundiais. Com mais apoio dos governos, empresas e mão de obra qualificada a tendência de expansão é considerada amigável neste panorama brasileiro de mineração.

Banner Newsletter