No nosso artigo de hoje iremos abordar o processo de flotação. Quando pesquisamos em algum site de busca a palavra “flotar”, geralmente nos retorna uma imagem semelhante a essa aí em cima.

Primeiro Parágrafo

Opa! Peraí!

O que essa imagem tem em comum com o processo de separação de partículas minerais denominado flotação?

Calma!! Vamos entender tudo direitinho logo abaixo.

O que é o processo de flotação?

Creio que a melhor definição da palavra flotar, da qual deriva a palavra que dá nome ao processo de flotação, é o ato de flutuar/boiar. A meu ver, é uma definição clara e direta para esta palavra.

Processo de Flotação - Flotar
Processo de Flotação – Flotar

Agora vamos entender como aplicamos esse processo para efetuar a separação das partículas.

Neste processo são exploradas as diferenças nas características das superfícies das partículas sólidas, mediante alguns tratamentos “físico-químicos” aplicados nestas mesmas partículas em suspensão na polpa. A separação pode ser feita independente das outras características das partículas, por exemplo, a densidade. Este processo é utilizado principalmente para minerais de granulometria fina, destacando, amplamente, o uso do processo de flotação para este tipo de minerais.

Para que haja o processo de flotação, as partículas de interesse devem se tornar Hidrofóbicas.

A hidrofobicidade é a incapacidade de se molhar

Processo de flotação - Hidrofobicidade
Processo de flotação – Hidrofobicidade

Na natureza são poucos os minerais que possuem essa característica naturalmente, sendo que para a maioria dos outros minerais, alguns produtos químicos (reagentes) devem ser adicionados a polpa e assim, ativar essa propriedade. Esses reagentes são denominados coletores. Eles reagem superficialmente por meio de um recobrimento superficial de adsorção e sem reagir quimicamente com as partículas minerais.

Na maioria dos processos, para aumentar a seletividade, há o emprego de algumas substâncias de origem orgânica ou inorgânica. Essas substâncias são denominadas reguladores e as mesmas têm várias utilidades, tais como: controlar a dispersão das partículas na polpa, controlar o PH da polpa, tornar mais seletiva a ação coletora, etc.

Com os reagentes e reguladores aplicados na polpa, a hidrofobicidade das partículas de interesse são ativadas, mas para que ocorra o processo de flotação, a polpa deverá ser preenchida com bolhas de ar (espuma) e assim as partículas ligam-se ao ar e deslocam-se para a superfície ocorrendo o processo de flotação. Para que essa adesão ocorra é necessário que a espuma esteja estável, para isso é utilizado outro reagente denominado espumante. O espumante deixa a espuma consistente, estável e adequada às finalidades do processo.

Concluindo…

Todo o processo de flotação é feito através algumas etapas, desde a aplicação do coletor a introdução do espumante no circuito. Existem vários equipamentos diferentes para realização do processo de flotação, sendo que eles são utilizados de acordo com uma série de fatores, como produção, espaço para implantação dos equipamentos e capital disponível para aplicação. Mas este é um assunto para outro artigo.

Imagem: Leonardo ReyesTrilok Rangan

Banner Newsletter